Cidades/Geral

Campinas ocupa 6º posição de cidade mais cara para comer fora

Por Ana Laura No

Levar marmitas ao trabalho ou faculdade está se tornando um hábito para a maioria das pessoas que precisam almoçar fora de casa todos os dias. Uma pesquisa de março deste ano do Datafolha, encomendada pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert), revelou que Campinas é a 6ª cidade mais cara para se comer fora, com o preço médio de R$ 36 (valor que inclui prato com bebida, sobremesa e café).

A analista de mídias sociais, Carla Mattos, tinha o costume de almoçar sempre com os colegas de trabalho no restaurante da empresa. Porém, mesmo ganhando mais que um salário mínimo e vale alimentação, passou a optar pelas marmitas. Ao todo, ela passou a economizar R$ 300 por mês. “Quando você traz a marmita, pode trazer o que quiser, do jeito que gosta, na quantidade que quer. Você tem essa facilidade e acaba ficando mais barato”, afirma.

A analista de redes sociais, Carla Mattos, aderiu a marmita quase todos os dias no almoço Foto: Ana Laura No

A redatora e criadora do blog “Minha Marmita Tem”, Rebecca Bittencourt,  tem 25 mil acessos por mês em seu site, que trata de temas relacionados à marmita: como armazená-la, como planejá-la e outras coisas. Ela diz que o intuito do site é dar dicas para quem precisa levar marmitas – pessoas que “estão meio perdidas, que nunca levaram, não sabem como começar, ou têm preguiça”. As receitas variam de comidas fáceis, como ensinando a fazer arroz, até coisas mais elaboradas, como risoto de camarão e abóbora.

Infográfico por Ana Laura No

A analista conta que, depois que começou a levar marmita, a saúde melhorou muito, pois passou a controlar mais a alimentação. “Eu não sabia qual era o cardápio do restaurante, a gente só ficava sabendo no dia. Mas é tudo muito restrito e limitado, então mesmo quem queira uma alimentação saudável acaba enjoando em um mês”, explica.

A proprietária do restaurante por quilo Nonna Grillê Simone Fátima de Gallo, aberto em 2010 na PUC-Campinas diz que, no começo, vendia em torno de 600 refeições no almoço. Mas desde 2014, com a crise econômica, o movimento foi caindo. “Ano passado, fizemos um levantamento junto com os estagiários de nutrição da PUC e não estávamos chegando a vender 200 refeições ao dia. Procuramos não mexer na qualidade, mas fizemos mudanças que as pessoas que comem em casa e que compram ingredientes entendem porque sabem do aumento de preços”, esclarece.

A proprietária do restaurante Nonna Grillê, Simone Fátima de Gallo/ Foto: Ana Laura No

Para atrair clientes, ela começou a fazer promoções e vender produtos diferenciados. “Nas férias, fizemos promoções, como preços fixos para comer a vontade no buffet”, assegura.

Pelo fato de o restaurante ser na universidade, não há repasse mensal para os clientes. Existe um reajuste anual feito através de um estudo com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA). Este ano, o reajuste foi de 9%, o quilo era R$34,95 e foi para R$38. Para suprir a queda do movimento, a proprietária teve que demitir funcionários. “Estamos trabalhando com o mínimo de funcionários possível, Trabalhávamos na casa com aproximadamente 13 funcionários, hoje estamos com sete.” Mas Simone já fez mudanças para inovar, como comprar uma churrasqueira elétrica que faz espetinhos e a venda de alimentos diferentes.

Editado por Isadora Gimenes


Veja mais matéria sobre Cidades/Geral

Festa de Santo Antônio em Campinas chega à sua edição de número 78


O Santuário de Santo Antônio, localizado no bairro da Ponte Preta, em Campinas, se prepara…


Moradores do distrito de Barão Geraldo fazem ato contra novo Plano Diretor


Foi realizado na manhã de sábado (10) na Praça Central de Barão Geraldo um ato…


Após um mês fechado, Hopi Hari vai reabrir


Redação Digitais Parque de diversões mais popular no estado de São Paulo, fundado em 1999,…


Dia do Meio Ambiente promove ações conscientes e atitudes sustentáveis


Redação Digitais O dia mundial do meio ambiente, comemorado hoje (05), tem como objetivo principal…


Festejos Juninos em Campinas e região começam neste final de semana


Redação Digitais Os meses de junho e julho prometem ser movimentados na cidade de Campinas…


Pesquisa do Datafolha indica que maioria quer renúncia de Temer; esclareça dúvidas sobre quadro político brasileiro


Por Redação Digitais Após a divulgação da última pesquisa do Instituto Datafolha, que aponta que…



Siga – nos

Leia nossas últimas notícias em qualquer uma dessas redes sociais!

Campinas e Região


Trânsito em Campinas

Facebook

Expediente

"Um produto laboratorial da Faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas. Leiaute desenvolvido em parceria com o Departamento de Desenvolvimento Educacional - DDE da instituição"

Assinar por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar e receber notificações de novas publicações por e-mail.